Sexta-feira Santa: a Morte na Cruz

Chegamos à Sexta-feira Santa ou Sexta-feira da Paixão, momento no qual os pecados e transgressões da humanidade pesaram sobre Jesus, colocando-o em cadeias, castigo de açoites e culminando com sua morte na cruz (João 18:1-40). 


Sobre ele pesava toda injustiça, o preço da nossa dívida (Colossenses 2: 14-17), a dor da traição e a tristeza de quem foi abandonado pelos seus próprios amigos. Ademais, na cruz lhe aguardava o silêncio do próprio pai (Mateus 27:46).

Jesus representa a dor de todas as pessoas injustiçadas em qualquer lugar e tempo. Pessoas perseguidas e discriminadas, excluídas e escravizadas, na cruz representadas pelo cordeiro pascal oferecido como sacrifício perfeito e eterno. É incontestável dizer que na sua dor o perdão fluiu, no seu sofrimento a cura surgiu e na sua morte a graça extravasou. 

"O EXTRAVASO DA GRAÇA"! Sim, é o que se pode dizer desta sexta-feira da paixão. Sem murmurar, sem lamentar, sem nem mesmo hesitar, a entrega foi perfeita e plena como tudo que Ele sempre fez e faz. O que o motivou? O seu amor por você e por mim!

Resignados pelo sofrimento de Cristo, mas gratos pelo que Ele fez. Que esta sexta-feira da paixão seja um momento de reflexão sobre nossas atitudes. Enquanto filhos e filhas, como Ele, devemos amar sem condição, perdoar sem razão, acolher sem distinção e viver em comunhão.

FELIZ SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO! 

Texto: Reverendo Marvel Souza (Instagram: @marvelsouzaoficial

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma reflexão sobre o Tempo (Esboço de pregação)

ARMAD@S E PERIGOS@S

DEVOLVEU O PRESENTE?