Quarta-feira Santa: O traidor é anunciado

Chegamos à Quarta-feira Santa - dia que nos faz lembrar do momento em Jesus confirma que um dos seus discípulos o trairia (João 13:21-32). É a Ceia do bacado molhado! 


Jesus diz que aquele para quem ele entregasse o bacado de pão molhado, este seria o traidor. Imagine você que em um momento solene e de celebração que aquela ceia representava, a notícia e o apontamento do traidor fez com que os discípulos ficassem atônitos e interrogativos quanto aos motivos pelos quais Judas faria tal coisa.

Eles sempre estiveram juntos, presenciaram os milagres realizados por Jesus e receberam os seus ensinos e pregações. Por que trair o mestre? Há quem diga que Judas é um exemplo de que a culpa nem sempre está no líder quando um lidrado falha em sua missão. 

Judas estava decido a entregar Jesus para seus inimigos. Havia dado lugar em seu coração para o poder do mal. Talvez por inveja, ganância ou egoísmo. Ele estava dominado pelo mal. O bocado molhado deixa claro que Jesus bem sabia o que se passava na mente de Judas. Mas para além do poder do mal, estava o proposito divino de salvar os pecadores. 

O sacrifício expiatório era a única maneira de redimir os que estavam mortos em seus pecados e transgressões (Efésios 2:1-10). Inclusive, este sacrifício também era por Judas, por isso em nenhum momento Jesus o excluiu, mas permitiu que ele participasse de tudo até mesmo do seu sofrimento. 

De fato, do plano da salvação ninguém pode ficar fora. Há espaço para tod@s!  


Texto: Reverendo Marvel Souza (Instagram: @marvelsouzaoficial)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma reflexão sobre o Tempo (Esboço de pregação)

ARMAD@S E PERIGOS@S

DEVOLVEU O PRESENTE?