OS GAYS QUE SE PROSTRAM "DIANTE DO TRONO" - PARTE 2

Os que se prostram DIANTE DO TRONO são os mesmos que aceitam as migalhas da mesa como os CACHORRINHOS...

Mais uma declaração insana contra a população LGBTQI+ vem à tona da parte da família Valadão. Agora, especificamente, a cantora Ana Paula Valadão, assim como outras cantoras gospel, como Aline Barros, Cassiane, Fernanda Brum, Shirley Carvalhais,  já o fizeram antes: insultar as pessoas LGBTI+ e mostrar o grau de desinformação de muitos evangélicos. Absurdamente, ela foi capaz de achincalhar os gays com a afirmação de que a AIDS é uma doença gay que representa um castigo natural à "prática homossexual". 

Seguindo bem a linha muitas grandes igrejas neopentecostais,  pentecostais e históricas do Brasil, o pensamento da Ana Paula Valadão expõe com clareza o que eles estão dispostos a oferecer aos seus membros, fans e simpatizantes LGBTQI+ -  Estes serão aceitos para frequentar os cultos, dizimar, consumir os seus materias e sempre se comportarem como aqueles que têm as cantoras gospel como divas e seus cantores como ídolos. No entanto, jamais os receberão e os liberarão totalmente para o exercício pleno da fé sem restrições (nunca serão líderes, não podem exercer ministério algum que os deixe em evidência, não podem participar de certos eventos específicos para casais héteros e etc). 

Até mesmo alguns líderes evangélicos que estão na defesa da população LGBTQI+ não apoiam e tão pouco promovem a Inclusão Eclesial Plena desta população ao Exercício Pleno da Fé. O que a Lagoinha está fazendo abertamente contra as pessoas LGBTQI+ eles fazem veladamente. E pior, são ovacionados nas mídias sociais por pessoas da sigla. 

Por muito tempo me questionei o porquê de muitos gays não aceitarem estar em uma igreja que os acolhe e cheguei a algumas conclusões, de acordo com minha experiência como pastor: 

- a maioria quer ser líder, usando o argumento da sua experiência passada em estruturas fundamentalistas. REJEITAM a ideia de serem liderados;
- a maioria não gosta de estudar, acha que ser lider é só explicar bem a Bíblia. Na realidade das igrejas inclusivas poucos líderes têm formação teológica; 
- a maioria critica a liderança pelo que eles acham que a igreja deveria ter ou fazer, mas são incapazes de somar forças com humildade para fazer a diferença;
- a maioria não vê glamour em ser de uma Igreja que não tem o nome forte, não dá visibilidade e não lhes oferece lugar de aparente destaque. São deslumbrados com as profetadas de que Deus os escolheu para estar por cima, com os grandes (Pelos menos em cima da galeria das igrejas dos grandes eles querem estar);
- a maioria tenta recriar no ambiente que as acolhe as estruturas passadas que as oprimia. Têm falta do amante opressor. Acostumaram-se com regrinhas bobas, nada bíblicas;
- a maioria é sexista e não aceita a convivência harmoniosa entre diferentes orientações sexuais e expressões de identidade de gênero. Ou querem viver só com as mulheres para demonstrar "sororidade" ou só com os homens ou rejeitam os trans. Assustadoramente na população LGBTQI+ o preconceito é latente;
- a maioria não têm um espírito ensinável. Sempre acham que são acima da média;
- a maioria vive uma busca frenética por realização afetiva e vão para a igreja só pra conseguir um relacionamento, ou para consertar o relacionamento ruim que têm. E depois que tudo tá ok, somem; 
- a maioria quer que a igreja seja tudo que elas nunca tiveram - querem que a igreja seja mãe, pai, amigos, relacionamentos, cura para os traumas e etc. E neste contexto os líderes são obrigados a paparicar, a ficar se desdobrando para convencê-los sobre as necessidades financeiras da igreja. É incrível que estas pessoas gastam dinheiro com cantores gospel e congressos e conferências, mas não aceitam ser dizimistas e ofertantes de uma igreja que os acolhe. Lembre-se: IGREJA NÃO TEM A RESPONSABILIDADE DE SER O PAI QUE VOCÊ NÃO TEVE OU MÃE OU IRMÃO OU NAMORAD@ OU SEJA LÁ DO QUE VOCÊ TEM FALTA, IGREJA ESTÁ AQUI PARA TE APRESENTAR CRISTO EM PALAVRAS E OBRAS, A FIM DE QUE VOCÊ PASSE A CONSTRUIR UMA CONDUTA 100% CRISTÃ;
- a maioria vive em busca de uma igreja perfeita, e na disputa entre as igrejas que os acolhe, é imperfeita e não tem glamour, e as igrejas que os achincalha, é imperfeita e tem glamour, eles ficam com o glamour e os discurso homo/trans/lesbofobico como o da senhora Ana Paula Valadão. 

Bem eu poderia listar mais algumas coisas, mas paro por aqui com este protesto contrário ao que Ana Paula Valadão, André Valadão e tantos outros famosos do mundo gospel estão fazendo com a população LGBTQI+, sem contudo deixar de protestar contra os que estão em volta da mesa deste povo se alimentando de migalhas e acreditando que são bem-vind@s e aceit@s sendo quem são: ACORDEM E VALORIZEM OS TRABALHOS DE INCLUSÃO QUE ESTÃO SENDO REALIZADOS NO MUNDO. TENHAM UM ESPÍRITO ENSINÁVEL!

TEXTO POR MARVEL SOUZA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma reflexão sobre o Tempo (Esboço de pregação)

Esterilidade Espiritual