Filosofias e Conceitos por trás da Logo da Comunidade Cristã Incluídos pela Graça

(...) alguns elementos foram sendo destacados e juntados para formarem uma marca que pretendeu sintetizar a nossa concepção do que vem a ser a IPEG.

Texto por Paulo Marcos Paiva de Oliveira

FILOSOFIA E CONCEITO DA LOGOMARCA

Depois de várias semanas de meditação, estudo, oração, pesquisa e troca de ideias entre vários membros da igreja e sua direção, alguns elementos foram sendo destacados e juntados para formarem uma marca que pretendeu sintetizar a nossa concepção do que vem a ser a IPEG.
As formas, os símbolos e as cores:
  1. O círculo (símbolo do infinito), de comunidade reunida em nome de Jesus Cristo (Deus que não tem começo nem fim), de evangelho – boa nova – que deve ser espalhada aos 4 cantos do mundo (os quatro semicírculos que circundam a logo)
  2. O branco da cruz tem o significado – na física da luz - de mistura de todas as cores (as cores da diversidade), o branco é uma cor que simboliza a pureza (“alvo mais que a neve”). O linho, feito de puro algodão que os egípcios – que o povo de Deus conheceu -  já conheciam e teciam as suas vestes mais nobres. Assim, a nobreza do branco também está presente na logomarca.
  3. Os números, os três peixes, o triângulo que formam entre eles, representam a trindade – o Pai, o Filho e o Espírito Santo -, e no meio do triângulo, a chama do Espírito, aquela chama que baixou sobre as cabeças de cada um dos apóstolos e dos presentes no cenáculo. Chama que ilumina as mentes, clareando o discernimento das coisas à luz dos evangelhos, da palavra de Cristo Jesus, a verdadeira sabedoria. O peixe é um dos símbolos mais utilizados pelos primeiros Cristãos, relembrando os milagres da multiplicação dos peixes, seu desenho esquemático, pretende então relembrar este símbolo tão utilizado pelo cristianismo primitivo. O peixe, assim como o pão, tornou-se símbolo de Cristo.
  4. As cores têm como ambiente de inspiração, o tabernáculo construído por Moisés.
  5. Utilização preferencial das 3 cores primárias dos pigmentos simbolizando:
  • Magenta – a cor/luz Púrpura e Carmesim, Realeza e Soberania de Cristo; sacrifício
  • Branco – cruz vazia, do linho fino, significando perfeição, pureza e santidade divina em Cristo
  • Amarelo – a cor dos fios de ouro fino das vestes sacerdotais, significando pureza; também lembram o azeite utilizado para a unção; cor/luz da graça
  • Ciano – pedras de engaste, para o peitoral das vestes sacerdotais.  Azul celeste de onde provém a graça.
  • O laranja, o verde e o roxo que surgem com a sobreposição das cores dos peixes ao se cruzarem, vêm afirmar a reunião da diversidade a ser incluída pela graça. E dão à marca um toque de vitral, elemento tão utilizado nas igrejas para deixar passar a luz natural até seus interiores.     
                           

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma reflexão sobre o Tempo (Esboço de pregação)

ARMAD@S E PERIGOS@S

Esterilidade Espiritual