Traduções da Bíblia para o Português



João Ferreira Annes d'Almeida, ou simplesmente João Ferreira de Almeida, foi um ministro pregador da Igreja Reformada nas Ídias Orientais Holandesas, reconhecido especialmente por ter sido o primeiro a traduzir a Bíblia Sagrada para a língua portuguesa. A sua tradução do Novo Testamento foi publicada pela primeira vez em 1681, em Amsterdam. Almeida faleceu antes de concluir a tradução dos livros do Antigo Testamento, chegando aos versículos finais do Livro de Ezequiel. A tradução dos demais livros do Antigo Testamento foi concluída em 1694, por Jacobus op den Akker, também ministro da Igreja Reformada. Os volumes da tradução do Antigo Testamento em português foram publicados somente a partir do século XVIII, em Tranquebar e Batávia, no Oriente. A primeira edição em um único volume de uma tradução completa da Bíblia em português foi impressa somente em 1819, em Londres. 
No tempo de Almeida, um tradutor para a língua portuguesa era muito útil para as igrejas daquela região – além de o português ser um idioma comumente usado nas congregações presbiterianas, era o mais falado em muitas partes da Índia e do Sudeste da Ásia. Acredita-se, no entanto, que o português empregado por Almeida tanto em pregações como na tradução da Bíblia fosse bastante erudito e, portanto, difícil de entender para a maioria da população. Essa impressão é reforçada por uma declaração dada por ele na Batávia, quando se propôs a traduzir alguns sermões para a língua portuguesa, segundo ele: “a língua portuguesa adulterada, conhecida desta congregação”.
Almeida enfrentou dificuldades para ter o Novo Testamento impresso em língua portuguesa, pois dependia da disposição de revisores e da recomendação do presbitério da época, para que conseguisse as permissões necessárias para a impressão da obra, algo que não é muito diferente do que acontece hoje em dia.
A produção de uma Bíblia não é um trabalho fácil, requer muito tempo, dedicação e investimento financeiro, principalmente em um país como o Brasil, onde a produção literária costuma ser de difícil acesso, cara e burocrática. Ademais, a quantidade de livros e a complexidade dos textos que a Bíblia possui, faz com que o autor empregue não apenas alguns dias ou alguns meses de trabalho. Para se ter uma obra bem estruturada, substancialmente correta e eficaz em seus propósitos, mesmo com toda tecnologia atual, é necessário anos de intensos trabalhos. Isso em se tratando de um trabalho em equipe (tradutores, revisores, editores, pesquisadores, etc).
Hoje em dia, as principais traduções da Bíblia para o português são basicamente 6:
  1. Almeida Revisada e Corrigida (A-RC), a primeira principal sucessora da Almeida       Original;
  2. Almeida Revisada e Atualizada (A-RA), a segunda principal sucessora da Almeida     Original, e sucessora também da A-RC;
  3. Nova Tradução para a Linguagem de Hoje (NTLH), nova tradução, em linguagem contemporânea, sucessora da Tradução para a Linguagem de Hoje (TLH);
  4. Tradução Brasileira (TB), uma tradução antiga, do início do Século 20, que ainda se sustenta mediante o apoio da SBB;
  5. Nova Versão Internacional (NVI);
  6. Bíblia Viva / A Nova Bíblia Viva;
  7. Bíblia Graça sobre Graça - Bíblia GsG.


Em todas estas traduções é possível perceber as tendências que influenciaram seus tradutores ao interpretarem os Textos Sagrados, já que o trabalho de traduzir significa interpretar de um idioma para outro. Ainda que a equivalência atribuída à tradução seja a formal, para alguns textos é impossível encontrar palavras 100% equivalentes. Então, o prisma do tradutor é determinante para a moldura que será dada ao texto.
Dentro deste contexto, está a Versão GsG – Bíblia Graça sobre Graça, que tem como objetivo apresentar ao leitor um texto mais próximo possível do que se pretendia dizer no idioma original dos Textos Sagrados, de forma clara e precisa. Sem excluir nenhum dos textos presentes nas Bíblias convencionais, a versão GsG abre as portas para que outros trabalhos surjam, contribuindo com a difusão do Evangelho. 
O primeiro trabalho que surge a partir da Versão GsG é a Bíblia Comentada Graça sobre Graça, que é uma obra inédita no Brasil e no mundo. Esta obra tem como objetivo fomentar assuntos relacionados à Inclusão Eclesial de todas as pessoas, independentemente de raça, cor, gênero, identidade de gênero, orientação sexual, idioma, tribo ou nação.
O teor deste trabalho vem de encontro às estruturas fundamentalistas, que escravizam as mentes incautas e formam uma legião de seguidores doentios, capazes de cometer atrocidades em nome de Deus e do Evangelho.
O objetivo principal da Bíblia Comentada Graça sobre Graça é soprar a poeira da Teologia Gasta pelo Tempo, e deixar a Graça Divina fazer o que só ela sabe fazer: SER SIMPLESMENTE INCLUSIVA.
Assim como João Ferreira de Almeida perseverou em seu projeto, a pesar das adversidades, o Pastor Marvel Souza está decidido em deixar para os cristãos do presente século e dos séculos vindouros a Mensagem Graciosa do Evangelho, mostrando a todos que a Graça Divina é totalmente suficiente para salvar a todas as pessoas.  

Fontes de pesquisa:

 https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Ferreira_de_Almeida

Adquira o App da Bíblia Graça sobre Graça:

https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.bibliagsg

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma reflexão sobre o Tempo (Esboço de pregação)

ARMAD@S E PERIGOS@S

Esterilidade Espiritual